terça-feira, 19 de junho de 2012

Hospital recebe doação de agasalhos

Alana Pastorini

O Hospital Bezerra de Menezes de Presidente Prudente foi beneficiado pela Campanha do Agasalho da  Universidade do Oeste Paulista (Unoeste).

A entrega das roupas ocorreu na quarta feira (20), no espaço cultural “Professor Agripino”. A ação foi realizada pela responsável pelo departamento de Recursos Humanos, a psicóloga Fátima Cristina Luiz Leonardo. Os agasalhos serão destinados aos 240 pacientes da instituição.

Os representantes do hospital, o administrador, Mauro Cesar Galhiane e o auxiliar técnico de segurança do trabalho, Erielton da Silva Santos, foram receber os donativos.
                               
                                Foto: Mariana Tavares

A assessoria da Unoeste, explica que as peças foram arrecadadas pelos próprios funcionários e alunos. A ação acorreu no campus I e II.

De acordo com a psicóloga, esta não é a primeira vez que a universidade contribui com a entidade. “Conhecemos a seriedade do trabalho desenvolvido na associação”, salienta. “Os funcionários se mobilizaram, inclusive, alguns setores fizeram questão de ter a caixa da campanha no departamento. É uma demonstração de solidariedade que, com certeza, contribui no crescimento pessoal de cada um. Nossa intenção é ampliar a cada ano, pois todos podem participar inclusive alunos, professores e comunidade em geral”, pontua.


O administrador da associação ressalta que toda doação é muito bem-vinda e que a iniciativa da universidade vem suprir uma das necessidades. “Atendemos muitas pessoas carentes, atendidas pelo SUS [Sistema Único de Saúde]. Por isso, precisamos de ajuda o ano todo. Agasalhos, por exemplo, são essenciais, pois muitos dos atendidos chegam com pouca roupa de frio, e quando sujam fica difícil”, salienta. Galhiane reforça que até as roupas que não estão muito boas para o uso, são utilizadas no projeto de terapia ocupacional. “São tecidos que se transformam em outros produtos. Os pacientes fazem bonecos, ou até aproveitam para fantasias de festas temáticas, como a festa junina”.

Mauro destaca neste contexto de voluntariado a falta de participação do poder público: “as instituições filantrópicas que trabalham na área da assistência a saúde, com atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sofrem consequências do descaso das políticas públicas desenvolvidas em nosso país. Nosso sistema político, claramente criou uma estrutura baseada na corrupção que gera a desassistência em todas as suas instâncias. Neste sistema, as consequências mais nocivas ficam impostas aos menos favorecidos, que por falta de estrutura social e cultural, se permitem aceitar condições impostas com requinte de desumanidade inacreditável. Mais cruel ainda é que, a desagregação de valores produz uma conformidade social capaz de tornar as pessoas insensíveis aos acontecimentos”.

E finaliza agradecendo a Unoeste e a todos os voluntários que ajudam a instituição.
“Ao recebermos doações como esta, realizada por instituições que cultivam valores capazes de resgatar nas pessoas a visão humanizada que necessitamos em nossa sociedade e fator gratificante, capaz de nos motivar a continuar a árdua tarefa de lutar pelos menos favorecidos”.