sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Dia do Médico: profissionais contam os desafios e as realizações

Esses são alguns dos médicos da instituição, no total são mais de dez
            Hoje se comemora o Dia do Médico. No Hospital Psiquiátrico Bezerra de Menezes atuam cerca de 10 médicos que atendem pacientes que procuram tratamento na instituição.

            São manhãs muito agitadas, com diversos atendimentos, sempre um ou outro paciente querendo atenção ou cuidado. Embora cada qual tenha sua particularidade existe algo em comum, a maior motivação de todas elas é ver a melhoria da qualidade de vida dos seus pacientes. 

Veja o depoimento de algumas das médicas psiquiatras do hospital:

Na foto (da esquerda para a direita), as médicas psiquiatra, Tathiana Del Poço,
Stephanie Maniçoba, Michelle Salione e Samara Cristina 

Michelle Salione trabalha há cinco anos no hospital e tem oito anos de profissão

            Escolhi ser médica para ter mais conhecimentos e principalmente entender as situações da vida, melhorando a qualidade de vida de outras pessoas.

            O desafio hoje de um médico é manter a serenidade e nunca esquecer os valores pelos quais jurou. Todos os dias o que me motiva é o muito obrigado de um paciente ou familiar, isso pra mim é muito gratificante.

Tathiana Del Poço tem oito meses no hospital e quatro anos de profissão

            Desde criança quis ser médica, principalmente devido ao contato pessoal, acho que nasci para isso mesmo.

            O que mais me motiva é ver a melhoria dos pacientes, saber que eu tive participação e pude fazer a diferença, principalmente quando você ameniza a dor.

            Lembro que ainda na faculdade comecei a ter afinidade com a psiquiatria, descobri que existe mais área do que a cirúrgica. A Saúde Mental é uma área interessante, principalmente porque requer o amor e a paixão pelo que faz.

            Sei que os desafios são muitos, talvez o maior deles seja a estrutura e os recursos para essa área, você tem que resolver os problemas com o que tem, sabendo que pode fazer mais.

Samara Cristina trabalha no hospital há 12 anos e tem 13 anos de profissão

            Sempre gostei de cuidar de pessoas e da área da saúde, por isso escolhi ser médica, quando você melhora a qualidade de vida de um paciente, mesmo que você não tenha alcançado a cura, você se sente mais motivado.

            Acredito que um dos desafios seja um sistema de saúde em que os recursos se destinem para melhorias no tratamento, em medicamentos para o bem de todos os pacientes.

Sthephanie Moretti atua no Bezerra há dois anos e tem sete anos de profissão

            Meu pai era médico, ele foi minha influência na escolha da profissão, eu sempre o acompanhava isso então foi minha motivação.

            Acredito que a mudança e a troca entre pacientes e médicos são muito importantes porque a gente faz pouco e recebe muito.

            A psiquiatria me despertou a curiosidade, principalmente porque poucas pessoas dão a devida atenção, eu pensei que podia mudar isso. O maior desafio é a psicofobia que é a discriminação e o preconceito que existe em relação aos pacientes psiquiátricos.

Por: Cleber Benvindo
(Depoimentos cedidos a Assessoria de Imprensa do Hospital Psiquiátrico Bezerra de Menezes)